top of page
  • Foto do escritorFundação HdC

Exposição | Fortes D’Aloia & Gabriel X kurimanzutto



A Fortes D’Aloia & Gabriel (Brasil) tem o prazer de convidar a kurimazutto (México e EUA) para colaborar na edição de 2023 da exposição de verão na Comporta. Com base na vontade de estabelecer modelos alternativos e projetos colaborativos, ao longo de julho e agosto, a Casa da Cultura da Comporta recebe 18 artistas contemporâneos para uma mostra coletiva que representa a confluência de narrativas e desejos de ambas as galerias. A Fortes D’Aloia & Gabriel e a kurimanzutto trabalharam em conjunto para alcançar um resultado curatorial que personifica as suas identidades singulares.


Nas palavras de Alexandre Gabriel, um dos sócios e diretores da Fortes D’Aloia & Gabriel, “esta é a terceira iteração de um projeto em expansão que já trouxe retornos positivos e relações enriquecedoras para além dos limites físicos de uma galeria/exposição/feira de arte. A Casa da Cultura é o resultado da reabilitação de um antigo celeiro de arroz que, desde os anos 60, opera como cinema e centro cultural da região. A entidade promotora da Casa da Cultura é a Fundação Herdade da Comporta, uma organização sem fins lucrativos que trabalha junto à comunidade local para promover a inclusão e a sustentabilidade. As duas edições anteriores deram-nos uma ideia da envergadura e do alcance deste espaço para receber curadores, artistas e galeristas num destino de férias de verão que proporciona encontros espontâneos e aproximações mais orgânicas. Este ano, decidimos enveredar por um projeto mais ambicioso em parceria com a kurimanzutto. O cruzamento entre o programa das duas galerias é uma oportunidade para ver obras que aproximam géneros, abordagens e conceitos distintos de diferentes geografias e backgrounds”.


Tal como nas edições anteriores, a exposição acontece em duas partes, com tempos e temas distintos, apresentando uma seleção notável, incluindo obras inéditas. A primeira parte, a inaugurar no dia 8 de julho, foca-se no mundo natural como algo externo. Os trabalhos exploram a abundância das formas no universo dos fenómenos, traduzidos em dispositivos artísticos que fundem o natural e o artificial. A lógica sistémica visível em jardins, paisagens e na arquitetura está presente em esculturas, fotografias e pinturas, nas quais os artistas combinam táticas de organização formal com determinadas configurações de espaço orgânico e construído. Com obras de Abraham Cruzvillegas, Álvaro Lapa, Anderson Borba, Gabriel Orozco, Haegue Yang, Leonor Antunes, Luiz Zerbini, Marina Rheingantz, Mauro Restiffe e Wilfredo Prieto.


A segunda parte da exposição, que inaugura no dia 5 de agosto, reúne obras que abordam formas de representar o corpo, de devaneios inconscientes a narrativas místicas. Partindo de uma separação rigorosa entre a mente e a matéria, os trabalhos focam-se no potencial alusivo de materiais heterogéneos, incorporando informação sensorial para além do campo puramente visível. Os artistas comprimem múltiplas cronologias em objetos que carregam traços da manualidade e manifestam uma sintonia com os ritmos e ciclos naturais. Com obras de Adriana Varejão, Damián Ortega, Erika Verzutti. Ernesto Neto, Márcia Falcão, Nairy Baghramian, Sergej Jensen e Sofía Táboas.


“Este projeto reflete o lado colaborativo que a Fortes D’Aloia & Gabriel tem alimentado desde o início”, diz Maria Ana Pimenta, diretora internacional e porta-voz da exposição, ao explicar os motivos que sustentam esta iniciativa artística, acrescentando: “este formato nos dá a liberdade de estabelecer diálogos com galerias parceiras, instigando novas sinergias. Para além disso, a vertente mais artística e criativa da região está cada vez mais pulsante, abrindo caminho para a Comporta se tornar um lugar idílico para uma exposição de verão”.


Monica Manzutto, cofundadora da kurimanzutto, acrescenta: “Estamos entusiasmados com este convite da Fortes D’Aloia & Gabriel, tendo em conta que o aspecto colaborativo faz parte da kurimanzutto desde a sua criação. Promover diálogos e encontros entre artistas de diferentes regiões e gerações é uma prática que valorizamos. O local onde iremos apresentar esta exposição permite a ambas as galerias manter uma âncora na Europa e, ao mesmo tempo, trazer novas visões do panorama artístico internacional para esta região fantástica”.


Após duas edições, a galeria pop-up de verão na Casa da Cultura da Comporta está preparada para receber uma nova e entusiasmante edição com nomes relevantes do cenário internacional. Um local idílico entre o oceano e os campos de arroz, desde há muito que a Comporta é um destino de férias, e este projeto afirma-se como um meio para enriquecer o horizonte cultural e artístico com uma proposta que vai para além do habitual.




Commentaires


bottom of page